d93bc5_da0ab82d8d23410a8d2ba34c31a47910_

Nossa história

Com quase 13 anos de existência, o Sementes conta hoje mais mais de 50 voluntários!

O Grupo

Idealizado em 2007, o Sementes, iniciou seus trabalhos em 22 de março de 2008. Com uma trajetória de trabalho e lutas, o grupo conquistou o prazer de ser um dos maiores grupos do interior do estado.

História

Fundado em 2008, o grupo Sementes da Alegria conta com mais de 60 voluntários que realizam o trabalho de risoterapia com crianças em hospitais de São José do Rio Preto.  Tudo surgiu quando um garoto de nove anos disse para André Moretto, fundador do grupo: “nós precisamos fazer algo por alguém”. A partir desta indagação, começaram a mexer os pauzinhos e irem atrás de oportunidades. Surgiu então a primeira: se vestirem de palhaço em um asilo. Mas, sem ter noção do que fazer e perdidos, se sentiram frustrados. Com a frustração, o pequeno grupo começou a treinar para apresentações.

Em 2007, o grupo com 16 pessoas em cena, se apresentou para mais de 300, em uma peça sobre drogas. Logo após, um conhecido os convidou para trabalharem em um orfanato em uma cidade próxima de Rio Preto, mas não tiveram muito sucesso em suas primeiras apresentações. Foi então que André, conhece um importante palestrante e sem receio, solicita a ajuda para capacitar seu grupo. Primeira bola dentro! O palestrante Marilan Sales (Palhaço Tic-Tac do Bambalalão) aceitou e com isso, o grupo começou a adquirir todo conhecimento que estava ao seu alcance.

Em 2009 ocorre o primeiro surto de H1N1, e como uma forma preventiva, o juiz proíbe as visitas no orfanato. Nessa época, havia 20 pessoas no grupo, contudo, após a proibição, ficaram apenas 6, sendo que 2 não estavam firmes. Com isso, surge o desanimo.

A porta de Entrada

Entre tantas idas e vindas, altos e baixos, um médico convida André para se apresentar no hospital Santa Casa de Misericórdia. Nessa época, o grupo contava com apenas 3 pessoas. Mais uma frustração. A porta estava aberta, essa seria a primeira oportunidade de atuarem em um hospital, mas em 3 pessoas, seria praticamente impossível. André não recusou a proposta de cara, mas estava sem esperança de que algo poderia dar certo...

Mas o munda dá voltas e outros voluntários se apresentaram para fazer parte do grupo e ajuda-lo nesta empreitada. Assim, o grupo foi crescendo e aprimorou-se no trabalho de divulgação. 

EVOLUÇÃO

Com o passar do tempo o grupo foi criando identidade, seriedade com o trabalho e organização. Sempre com uma diretoria sólida e persistente com âmbito de elevar sempre mais a qualidade do trabalho apresentado. Os treinamentos foram divididos em vários temas onde o ser PALHAÇO precisa estar sempre em busca de aprimoramento, tais como: Teatro, Improviso, Música, Dança, Malabares, Mágica, Psicologia, Figurino e Make, Condutas e Normas Hospitalares entre outros. 

A forma de entrar no grupo também mudou, o que antes era só chegar e iniciar, hoje temos datas anuais de seleção de novos membros, onde o candidato preenche uma ficha, aguarda ser chamado na data estipulada, faça um processo de seleção on-line por no mínimo 30 dias conhecendo exatamente como funciona e principalmente o grau de comprometimento do voluntário para com o grupo e para com o trabalho em si, daí ele passa por um teste psicológico para aí sim, sendo aprovado, iniciar os treinamentos.

Sucesso

Segundo André, o trabalho de divulgação foi a “mágica” para o sucesso, e através disso, as pessoas passaram a procurá-lo para fazerem parte do time. Hoje o grupo é renomado no estado de São Paulo e referência na região. Não tem como receber uma visita dos Sementes e não ser impactado com tamanha alegria. Além dos hospitais onde atuamos, tais como HCM, Austa e Santa Casa, ao longo do ano ano somos frequentemente chamados para eventos pontuais que ajudam outras organizações a ter nestes eventos um ambiente mais descontraído e animado, como asilos, campanhas de doação de sangue, etc.